Arquivo de Refletindo

Pai nosso que estás no céu…

Pai nosso que estás no céu, santificado seja o vosso nome e amaldiçoados sejam aqueles que dizem ser teus filhos, exercendo a doce profissão de “banqueiro”, que se comportando como cordeiros, insistem em levar vantagem sobre as fraquezas dos teus verdadeiros filhos. Leia o texto na íntegra »

Em nome do pai, dos juros e dos lucros, amém!…

Cresce em todo o mundo, o fascínio do homem pelo poder do dinheiro e esta adoração descontrolada invade e exerce domínio absoluto nas fantasias das pessoas, a ponto de ficar despercebido pela maioria delas a influência sofrida pela manipulação imposta por uma minoria que cultiva a inversão plena de valores humanos na preservação de sistemas unilaterais que em massa controlam e se beneficiam da maioria das riquezas rotativas no mercado de consumo, insistindo em uma certa indução psicológica que faz com que as pessoas acreditem que o homem vale pelo que possui, desprezando até, sua essência humana e origem, como se nada mais merecesse sua estima e dedicação, a não ser o dinheiro. Leia o texto na íntegra »

Cuidado!..Você pode ter feito pacto financeiro com satanás!

Assustou com o alerta que intitula o presente Artigo?… – Achou muito forte o tema, o interpretou como de mau gosto e, está imaginando que o mesmo nada tem a ver com você, ou com o seu dia a dia?… – Engano seu, pois saiba, o diabo pode ser seu parceiro nos negócios e/ou o guardião do seu dinheiro e está mais próximo do que você imagina e por mais que a sua imagem assombre, todos falam nele e a maioria das pessoas acredita que ele existe, porém, ninguém nunca o viu, ou, pelo menos, poucos já se depararam pessoalmente com ele, apesar de pelo menos uma vez por dia muitos pronunciarem o nome do cargo que ele ocupa, ou, impulsivamente o seu nome quando algo de ruim na sua rotina diária acontece, ou, quando um sonho de consumo não Leia o texto na íntegra »

Bancos imaginam que o consumidor é idiota

Os bancos brasileiros continuam achando que somos todos idiotas e subestimam a nossa percepção tentando nos enganar com baboseiras diversas, balelas variadas e ampla demagogia apresentada em comerciais de tv, quando, se passando por bonzinhos e protetores do universo, do planeta e da natureza, imaginam talvez, que iremos acreditar em peças teatrais montadas com contextos fictícios repletos de papo furado e lorotas.

Todo o mundo já sabe que cuidar do meio ambiente é um dever de cada cidadão, mas compete aos poderes constituídos e órgãos ligados a esta área administrar esta delicada questão, com amor à causa, muito respeito e dedicação e ainda, políticas sérias e incentivos a estudos e técnicas naturais desenvolvidas por laboratórios sociais criados para esse fim.

Leia o texto na íntegra »