Orientação

Na verdade é que para nos defender, ninguém melhor do que nós mesmos e podemos faze-lo de várias maneiras, a primeira e mais importante, é sabermos que temos a obrigação de conhecermos os nossos direitos, – os direitos básicos civis e, principalmente, os direitos do consumidor. – E para isto não é preciso fazer uma faculdade de Direito nem fazer consultas periódicas a advogados, o Código de Defesa do Consumidor criado pela lei 8.078 em 11 de setembro de 1990, pode ser encontrado em todas as livrarias, custa barato e é uma fonte muito importante, no sentido de esclarecer todos os seus direitos de consumo, pois consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire um bem para uso próprio.

O Código de Defesa do Consumidor é aplicável a todo fornecedor de produtos ou serviços, público ou privado, nacional ou estrangeiro.

** Produto é qualquer bem, móvel ou imóvel.

** Serviço é qualquer atividade fornecida no mercado de consumo, mediante remuneração, inclusive as de natureza bancária.

Existem também muitas outras fontes de informações no que diz respeito a conhecimentos jurídicos e de seus direitos:

Na internet existem sites informativos, redes de TV’s educativas e muitos outros e a partir do momento que você adquirir o interesse e tiver contato com alguma dessas fontes, descobrirá outras, pegará gosto em se defender e também passará aos outros, pois será uma constante na sua vida, além de estar exercendo o seu direito pleno de cidadania.

Outra forma de se defender, é ter uma visão e um procedimento preventivo, isto significa ter um maior controle e uma administração mais detalhada e acompanhada do seu dinheiro, principalmente dos gastos futuros, pois são estes que fogem do seu controle e deixam você em situações de sufoco, pois deixam a impressão aparente de um futuro distante, mas quando o mesmo se torna presente e que você percebe e se vê dentro da realidade, pois trinta dias passam muito rápido.